Entrevistas

Entrevista com Antonieta Matos

Entrevista realizada em 18 de Novembro de 2009.

 

C.D.: Como você descobriu, e com que idade, você começou no universo da dublagem?

 

Antonieta: Minha mãe já era uma dubladora consagrada (Aliomar de Matos) e me levou p/fazer um teste, na Peri Filmes p/o filme 'A hora e a vez de Augusto Matraga". Eu estava com 8 anos.

 

C.D.: Quais dubladores você considera que foram os teus mestres?

 

Antonieta: Sei que vou esquecer de mencionar alguém mas aí vão alguns nomes:

Domício Costa, Ênio Santos, Orlando Drummond, Magalhães Graça, Ida Gomes, Selma Lopes, Sonia Moraes, Isaac Bardavid ,Carlos Marques, Norka Smith, Juraciara Diácovo, André Filho, Cleonir dos Santos, Lauro Fabiano, Nilton Valério, Rodney Gomes, Thelmo de Avelar, José Miziara, Ary de Toledo, Ângela Bonatti, Mírian Teresa, Tânia Alves, Waldir Santana, Mara Di Carlo, Nair Amorim, Roberto Maya, Paulo Cesar Pereio, Carlos Leão, Luiz Manoel, Pietro Mario, Francisco Millani, Milton Rangel, Jomeri Pozzoli, Gloria Ladany, Gualter de França, Nely Valverde, Helio Porto, Diana Morel, Carmen Sheila, Natália Timberg, Teresa Mayo, Aracy Cardoso, Maria Fernanda, Neuza Tavares, Neide Pavani e tantos outros.

 

C.D.: Do que você sente mais saudades daquela época?

 

Antonieta: Eu era a única criança a dublar e sempre fui tratada com muito carinho, era como se eu fosse a mascote da turma. Todos me acompanharam na transformação de criança para adolescente. Sinto falta de conviver com tantas pessoas inteligentes, que contribuíram para minha formação pessoal e profissional.

 

 

C.D.: Entre tantas dublagens que você realizou, você foi muito conhecida dublando a Princesa Safire de A Princesa e o Cavaleiro e o Michael Jackson em Jackson Five, na época você tinha noção do sucesso que esses desenhos faziam?

 

Antonieta: Não tinha essa consciência. Eu sabia que fazia sucesso entre meus colegas. Todos achavam o máximo conhecer alguém que fazia algo tão diferente e interessante. Às vezes eu levava algum colega comigo e isso era considerado uma aventura incrível. Até hoje quando comento que fui dubladora, que fiz a voz do Piu-Piu, os amigos pedem que eu diga a famosa frase: "Eu acho que vi um gatinho, vi sim, ora se vi."

 

C.D.: Na dublagem de A Princesa e o Cavaleiro, você se lembra dos companheiros que dividiam espaço com você? Como era dublar ao lado desses grandes profissionais?

 

Antonieta: Domício Costa, Carlos Leão, Paulo Pereira, Mirian Teresa, Sônia Moraes, etc.

Ter ao meu lado pessoas tão talentosas foi um privilégio, nunca esquecerei dessa época.

 

C.D.: Quais outros trabalhos em dublagem que você guarda com carinho?

 

Antonieta: Michael Jackson (série Jackson 5), Piu-Piu, Tambor (Bambi), Touluse (Aristogatas), Tom Sawyer (As aventuras de Tom Sawyer) são os que mais marcaram, tenho um carinho especial por esses trabalhos.

 

C.D.: Em Josie e As Gatinhas e Josie e As Gatinhas no Espaço você dublou a Valéria, como foi dublar essa personagem?

 

Antonieta: Gostei muito, a turma era animada e as histórias eram engraçadas. No início da série quem fazia a Josie era a Tânia Alves, que estava começando a dublar, ela era cantora lírica. Interessante, né?

C.D.: Na dublagem de Jackson Five, quais eram as pessoas que dublavam com você os irmãos de Michael, Diana Ross, e outros?, Nessa altura você já era adolescente não é?, Até a sua saída da dublagem, com 18 anos, a sua voz ainda era adequada para crianças?

 

Antonieta: A Diana eu não lembro, só ouvindo um dos episódios, assim eu poderia reconhecer a voz. Mas os irmãos eram dublados por Domício Costa, Carlos Marques, Henrique Ogalla, Paulo Pinheiro.

Minha voz sempre foi fina, por isso dublei personagens infantis mesmo já sendo adolescente e meu tom sempre se encaixava melhor para personagens masculinos.

Tive pouquíssimos personagens femininos, só no seriado da Josie ,Caverna do Dragão e a Princesa e o Cavaleiro.

 

C.D.: Qual profissão você desempenhou depois da saída da dublagem?

 

Antonieta: Fiz faculdade de Comunicação e Biblioteconomia, mas nunca exerci. Em função de ter um excelente inglês e espanhol, sempre trabalhei como Secretária Executiva Bilíngue em grandes empresas.

 

C.D.: Deixe uma mensagem para os teus fãs que admiram o teu trabalho até hoje, e que estão felizes por descobri-la.

 

Antonieta: Quero dizer que tenho orgulho de ter participado dessa época inicial da dublagem, quando ainda se dublava com vários atores na bancada, quando a profissão ainda não era reconhecida. Era uma época onde tudo era feito com muito amor.

O ambiente de trabalho era muito bom, muitas brincadeiras e muita amizade.

Obrigada a todos que reconhecem meu trabalho, sempre fiz com muito carinho e verdade.

Um forte abraço a todos!

Agradecimentos a Marco Antônio dos Santos, por participar da entrevista junto comigo com também perguntas a Antonieta Matos.